CONSTRUA SUA UTOPIA

CONHEÇA NOSSAS FERRAMENTAS PARA VOCÊ FAZER O SEU SOM

LASAtronix

O Compressor Ótico da Utopia, baseado no lendário compressor de estúdio LA-2A, presente em diversas gravações de todos estilos musicais na indústria fonográfica desde os anos 60 até a atualidade.

 

Diferente dos tradicionais pedais compressores que utilizam circuitos de ganho variável com FETs ou circuitos integrados, o LASAtronix utiliza um circuito que excita um conjunto de LEDs a partir do ataque das notas, sensibilizando um conjunto de fotocélulas que fazem com que o sinal seja comprimido. A natureza ótica do circuito introduz elementos que possuem uma velocidade de resposta gradual e lenta, produzindo uma compressão diferente de todas as outras tradicionalmente conhecidas, extremamente suave e que gradualmente soma ao seu sinal, em vez de destruir toda dinâmica.

 

Além da já esperada compressão, temos um preamp que reproduz as características do LA-2A, produzindo uma leve e quente coloração do sinal e introduzindo distorção harmônica, uma identidade musical e sonora que poderá elevar seu timbre a novos patamares, mesmo com ajustes de compressão leves e menos agressivos.

 

Falando em agressividade, através dos seus controles de Blend e Hi-Cut, o LASAtronix permite ajustes bastante extremos de compressão sem que o resultado seja um som demasiadamente agressivo e desbalanceado entre os agudos e graves.

6F2A7573-Edit.jpg
6F2A7531-Edit.jpg

22-03 BRICK

O 22-03 BRICK é um overdrive que se propõe a recriar a textura e sons do lendário amplificador Marshall JCM800 de 100W e 1 canal, cujo código é 2203 e foi o primeiro amplificador Marshall com Master Volume, lançado em 1975.

 

Para essa tarefa, contamos a consultoria do músico Guilherme Spilack, que utiliza há vários anos para seu som de guitarra o drive do JCM800 2203. Juntos, desenvolvemos um pedal com a inconfundível "mordida" dos amplificadores Marshall, compressão e textura característicos do lendário amplificador quando utilizado com o Master Volume próximo do 7, e dinâmica de sobra, limpando no volume da guitarra ou com a força da palhetada mesmo quando o ganho está no máximo, assim como no amplificador que lhe serve de inspiração.

 

Completam a receita do BRICK controles responsivos e utilizáveis em toda sua extensão que garantem versatilidade e dois dip switches internos no pedal que permitem configurar o 22-03 BRICK com o mesmo voicing do seu antecessor, o 19-62 BRICK: um Marshall Bluesbreaker clássico quando o ganho é ajustado antes das 12h, com menos compressão na faixa de frequência dos graves que conferem uma maior clareza e definição ao seu drive quando utilizado como um boost empurrando um outro overdrive ou amplificador.

6F2A7506-Edit.jpg

SCI-FUZZ

Dois estágios de ganho classe A em cascata com uma rede de feedback negativo. Não apenas um fuzz, o SCI-FUZZ buscou a origem dos primeiros pedais de guitarra: notas de aplicação que os fabricantes de transistores dos anos 60 e 70 forneciam em seus catálogos.

A partir destas notas de aplicação, fizemos nossa própria releitura de uma topologia clássica, que deu origem a tradicionais circuitos como Tonebender, Fuzz Face e Power-Boost, e o resultado é um pedal extremamente versátil que, apesar de ser Fuzz no nome, vai muito além.

Para que você encontre sua assinatura sonora, o "seu fuzz", o SCI-FUZZ apresenta um controle de ganho que responde bem em toda a sua extensão, controle de volume com vigor para dar um "boost" no seu amplificador, e o controle independente sobre a saturação de seus dois estágios de ganho, você pode explorar e somar as caracerísticas de saturação de cada estágio ou simplesmente esmagar seus estágios de ganho até que eles "desmoronem" em um universo de gated fuzz.

TRËMMENS

O Harmonic Tremolo da Utopia, baseado nas sonoridades clássicas dos amplificadores Fender Brownface produzidos somente entre os anos de 1959 e 1963.

 

Diferente dos tradicionais tremolos de amplitude, que modulam o volume do sinal de guitarra por completo, o Harmonic Tremolo se diferencia por dividir o sinal em duas faixas de frequência, modular essas partes separadamente, e somar novamente estes sinais, criando um cancelamento e soma de frequências que gera uma modulação quente e diferente de todas as outras tradicionalmente conhecidas.

 

Através dos seus controles de Shape, Rate, Volume e o exclusivo controle de Crossover (que controla a frequência em que ocorre a divisão citada), o TRËMMENS permite a reprodução não apenas de sons quentes, aveludados e clássicos de tremolo harmônico, como também pode ser configurado como um tremolo de amplitude convencional e pode também atingir novos sons que podem agradar desde os puristas com simulações de caixas leslie, até os experimentalistas e adeptos do shoegazing ou que utilizam pedais em seus sintetizadores.

6F2A7565-Edit.jpg